Desenvolvimento dos trabalhos

anda2

Diagnóstico

Os trabalhos relativos ao diagnóstico da bacia estão muito adiantados, especialmente nas Frentes 1 e 2.

Monitoramento de qualidade e quantidade da água na bacia do Jaguaré

O monitoramento de qualidade e quantidade de água na bacia para obtenção dos dados que fundamentarão a proposição de ações e de dispositivos de controle na fonte produzirá um banco de dados fundamental para a calibração do modelo matemático a ser utilizado.

Esta atividade tem importância especial porque não dispomos de estudos suficientes de caracterização das cargas urbanas. Estão sendo quantificadas as cargas poluidoras geradas em diferentes tipologias de uso e ocupação do solo urbano, o que poderá ser replicado para regiões com semelhantes características de ocupação.

Caracterização das tipologias de uso do solo específico e dos espaços abertos

Foram elaborados mapas caracterizando as tipologias de uso e ocupação do solo da Bacia do Jaguaré, sintetizado nas seguintes tipologias: Favela, Residencial, Industrial, Comércio e Serviço e Áreas Verdes.

Para essas tipologias serão propostos dispositivos de Infraestrutura Verde (IEV) que objetivam controlar o escoamento e proteger os corpos d’água de receberem cargas poluidoras.

Deverão ser propostas estruturas de controle de vazão e de cargas, bem como procedimentos de gestão para o conjunto da bacia do Jaguaré em nível de detalhamento correspondente a estudo de concepção. Para duas sub-bacias serão feitos estudos em nível de detalhamento de estudo de viabilidade.

uso-do-solo

Resíduos sólidos

Nos levantamentos de campo foram apontados os chamados pontos viciados, nos quais reiteradamente são lançados resíduos sólidos de forma irregular. São fundamentalmente lixo doméstico e entulho. A maior parte dos pontos se localiza nos fundos de vale, ao longo dos pequenos córregos. Ou seja, o lixo vai rapidamente para as águas.

pontos-viciados-na-bacia-do-jaguare

Barra Mantenedores 2017