Procedimentos

frentes

O projeto estabeleceu como estratégia a divisão em três frentes de trabalho a serem executadas de forma conjunta, permitindo assim uma análise multidisciplinar.  A divisão em frentes concatena atividades que envolvem trabalhos de escritório, à exemplo de modelagem numérica e institucional, workshops, análise de informação cartográfica, com o trabalho de campo, à exemplo de monitoramento da qualidade e quantidade de águas, amostragem de desempenho de serviços de gestão de resíduos e discussão com atores sociais e institucionais locais. O desenvolvimento de múltiplas tarefas garante a integração de visões, que, na realidade de campo, não permitem separação. A divisão em frentes de trabalho também tem por objetivo permitir o estabelecimento de lideranças de projeto para cada uma delas, organizando assim o fluxo de informações.

Frente 1 – identifica e quantifica as cargas poluentes líquidas e sólidas que chegam ao Córrego do Jaguaré e seus afluentes. Identifica a dinâmica das águas e propõe ações para o controle de cheias. Propõe medidas de tratamento para recuperação da qualidade da água, dando ênfase à proposição de medidas que favoreçam a presença da água e a harmonia paisagística;

Frente 2 – propõe a utilização de ferramentas LID e de infraestrutura verde descentralizada, dispersa e flexível, capaz de ajudar no controle de cheias e no tratamento das águas, a exemplo de parques lineares, áreas verdes e tipologias de baixo impacto;

Frente 3 – identifica os conflitos e desarticulação de políticas públicas e interesses privados no território e nos serviços urbanos para propor medidas não estruturais de gestão urbana e procedimentos para a integração das ações. Desenvolve programa de participação pública para a discussão do projeto.

Barra Mantenedores 2017